10 coisas que desvalorizam um imóvel

25 de maio de 2017

desvalorização

Está pensando em comprar ou vender um imóvel e não sabe se o preço pedido é o certo? A procura e a localização não são os únicos fatores a influenciar nisso. Há ainda um terceiro critério que pode fazer com que o preço diminua drasticamente: a desvalorização.

Veja quais são os fatores responsáveis por ela e entenda porque o seu imóvel pode estar perdendo parte de seu valor:

1. Garagem

O poder aquisitivo da população tem subido nos últimos anos. Com isso, a compra de automóveis foi alavancada drasticamente. Assim, é muito raro que uma família não tenha um carro. Em cidades como São Paulo, com o sistema de rodízio, ainda é possível encontrar famílias que possuam dois, três carros. Por isto, um imóvel sem garagem perde força perante outros que possuem até mesmo mais de uma vaga.

2. Piscinas

Pode parecer estranho, já que piscina deveria ser considerado um fator agregador de valor. Mas isto não funciona se o seu comprador for um idoso ou uma família com crianças pequenas. Além disso, piscinas geram um custo maior de manutenção, por isso pessoas com vida atribulada e que não tenham alguém para ajudar na limpeza fogem de casas com piscina.

3. Casas com mais de um andar

O mesmo grupo anterior está fugindo de casas com escadas. Se o seu comprador for uma família com idosos, casa com mais de um andar significa risco de quedas maior, o que acaba sendo um fator para que as pessoas não queiram esse tipo de imóvel.

4. Falta de boas escolas próximas ao imóvel

Quem tem família com crianças pequenas não quer que elas estudem muito longe de casa. Neste ponto, o critério de localização é imprescindível. Se o imóvel estiver longe de boas escolas e de locais nos quais elas possam se divertir, dificilmente ficarão nele.

5. Estar próximo a cruzamentos em T ou fim de rua sem saída com rotatória

Locais assim acabam rendendo pessoas manobrando na porta de sua casa (e podendo causar danos na parte da frente do seu terreno) constantemente. O problema dobra se a família tiver um número de carros maior do que o número de vagas na garagem (tendo que deixar seu carro na rua), afinal, o risco de que em uma manobra batam em seu carro aumenta nestes casos.

6. Proximidade a trens, metrô, rodovias e aeroportos

Apesar da proximidade a estes locais ser boa por conta da praticidade, os ruídos causados por circulação de trens na ferrovia, trens urbanos, metrô e aviões pode ser bem desagradável. Por isto, casas que estão no limite destes locais podem ser desvalorizadas.

7. Casas na esquina

O barulho do tráfego será em dobro (já que passam carros em dois lados do imóvel), sem contar que são mais calçadas para fazer manutenção e que acabam limitando o quintal de casas.

8. Lotes inclinados

Mesmo que a casa esteja segura em um lote bem inclinado, a família acaba perdendo espaço de lazer (já que dificilmente poderão ser feitos ali parquinhos, piscinas e espaço para confraternizações), além de dificultar o cuidado de um jardim ou de partes do quintal com grama e árvores.

9. Árvores altas próximo ao terreno

Árvores altas costumam ter raízes grandes e profundas. O proprietário não tem domínio sobre a direção em que essas raízes vão crescer, o que pode até mesmo atingir a fundação e colocar o terreno e até mesmo a casa em si em risco.

10. Casas dos fundos ou vilas

Apesar de a segurança de certa forma ser maior, há o incômodo de pessoas precisando acessar seu terreno para chegarem a sua casa ou estacionar carros. Se a convivência não for boa, ainda gera muita indisposição devido a coisas pequenas. Famílias que querem mais tranquilidade fogem deste tipo de imóvel.

Estes são fatores que ajudam a desvalorizar uma casa, além de más condições de conservação. Por isto, se você está vendendo o seu imóvel, fique de olho nestes critérios na hora de avaliá-lo. 

Ir ao topo